Foz do Iguaçu

Foi uma viagem muito adiada, para quem gosta de viajar para o exterior, sempre fica para depois uma esticada dentro do Brasil. Mas foi incrível, recomendo muito. Agora, não pense que vai sair baratinho só porque você está acostumado a gastar muitos euros ou dólares em viagens para o exterior, que viajar para dentro do Brasil vai sair baratinho, muito pelo contrário, principalmente Foz do Iguaçu, uma cidade mega turística onde tudo é muito caro, principalmente comer.

Cheguei na cidade de avião, foi um voo de 1h e 50m do Rio de Janeiro até Foz. Peguei um táxi do aeroporto até o meu hotel, paguei bem caro, já era quase madrugada e os táxis usam bandeira 2. Tem um ônibus urbano 120, que passa pelo aeroporto até o centro da cidade, mas como estava muito tarde, preferi não arriscar.

No dia seguinte, claro que fui conhecer as famosas Cataratas do Iguaçu, do lado Brasileiro. Decidi fazer tudo com os ônibus urbanos, o ônibus 120 que sai do Terminal de Transporte Urbano de Foz e passa pela Av. Juscelino kubitschek, próxima ao hotel que estava hospedado, te leva até o parque e é esse mesmo ônibus para sair do parque. Foi uma experiência incrível. Tudo extremamente organizado, o parque não deixa à desejar a nenhuma atração turística que já visitei fora do Brasil.

Com muitas filas, por ser um sábado e estar lotado, decidi comprar os ingressos na máquina, existe também os caixas que se você preferir, pode enfrentar as longas filas.

Com os ingressos na mão, me dirigi para o embarque, uma longa fila que andava muito rápido, que me levou até o ônibus do parque para começar o roteiro.

Durante as explicações, um alerta constante é sobre não alimentar os quatis, que são criaturinhas que estão por todo o parque e são muito bonitinhas, mas muito agressivas, tem fotos de pessoas com as mãos bastante machucadas por que resolveram alimentar os quatis.

O Brasil ficou com 20% das quedas d´água, em comparação com o lado argentino, mas devo dizer que mesmo assim é deslumbrante ver toda aquela força e aquele barulho das águas pertinho de você. Por ser um parque relativamente pequeno, uma manhã ou uma tarde é mais que suficiente para conhecer tudo, mas, se você quiser fazer trilhas e andar de barco, talvez tenha que ficar o dia inteiro. O Macuco Safari é o passeio de barco, tem também a trilha do poço negro e a trilha das bananeiras.

Ao contrário do que eu li em outros blogs, o lado brasileiro é bem mais barato que o argentino, menos da metade o valor dos ingressos e os passeios por trilhas e braco, também no lado brasileiro é mais barato.

Quando você for chegando ao final da trilha, tenha certeza que vai se molhar muito, a força das águas são impressionantes e vale todo e qualquer esforço, lembre-se de ir com roupas leves ou mesmo com uma capa plástica, que pouco adianta.

Foz do Iguaçu tem outras atrações além das cataratas. O Marco das três fronteiras do lado brasileiro é bem interessante e vale a visita. Tem um Marco das três fronteiras do lado argentino, que é de graça e do lado paraguaio também (eu não sabia). O lado brasileiro é pago e foi recentemente reformado e tem restaurantes e danças típicas no final da noite, a recomendação é ficar até o por-do-sol e se você for de ônibus urbano como eu, pode ficar até o final das danças, pois o ônibus espera terminar. Para ir até o Marco das Américas, ou das três fronteiras, pegue o ônibus número 103 – Jardim das Flores e desça no ponto final.

Resolvi também visitar a Mesquita de Foz, devo dizer que foi mais complicado que eu esperava. Eu peguei o ônibus 102 CONJUNTO C SUL – PROFILURB ou 103 PORTO BELO – PORTO MEIRA, a dica é saltar no Hipermercado Big e andar uns 200 metros, achei complicado por que no site da Mesquita só diz o horário de abertura e de encerramento, não fala que as visitas são feitas a cada meia hora e que as roupas devem ser longas principalmente para as mulheres, já passei por esse mesmo problema em Roma, dá uma conferida no artigo. Lá na mesquita eles alugam saias longas e para entrar de fato na Mesquita, as mulheres precisam cobrir a cabeça.

Outras duas atrações famosas de Foz são o Templo Budista e a Usina de Itaipu, optei em fazer no mesmo dia, pois as duas atrações estão próximas, e os ônibus podem ser os mesmos. No Terminal de Transporte Urbano tem uma placa indicando qual ônibus pegar para o Templo Budista. Para ir até o Templo Budista peguei o ônibus número 103 – Porto belo e desci no ponto final. Fica dentro de uma periferia, parecia que não chegava nunca.

O Templo é de graça e fiquei mais ou menos 1h e 30m.

Para sair do Templo Budista, voltei para o ponto do ônibus, voltando para a estrada, atravessei a rua e esperei o ônibus para a Usina de Itaipu. Para ir até a Usina de Itaipu pegue o ônibus número 101 Vila C Norte ou o 102 Vila C Sul, naquele ponto que eu estava, também servia o 320. Para sair foi mais complicado, tive que perguntar para cada motorista de ônibus que passava no ponto se ele iria até o centro, pois muitos vão para outros lugares e as informações não são muito claras, inclusive para os estrangeiros que não dominam o português.

Para a visita na Usina, temos muitas opções. Eu optei em fazer circuito especial, com hora marcada e deve ser comprado com antecedência, o passeio dura 2h30min. Tem outras coisas também.

IMG_4693

A visita foi bem interessante pudemos ver as engrenagens da usina, os painéis de controle e o antigo leito do rio paraná. Para começar, tivemos que colocar capacetes.

a3ac03dc-dc85-4aef-83f5-27a6ffd37062

A entrada.

A sala de controle, a engrenagem e a vista panorâmica.

E para sair do roteiro turistão, como eu tinha um dia livre, pesquisei com os locais algum passeio fora do circuito, me foi indicado o Secret Falls, um passeio pelas cachoeiras escondidas de Foz onde se pode entrar e tomar banho. Foi bem interessante, o passeio pode ser de dia inteiro ou meio dia.

Veja também: Cataratas e Puerto Iguazú na Argentina e Ciudad del Este no Paraguai.



Booking.com

 

Deixe uma resposta