São Paulo

13237690_10204701326772219_5832741786127454512_n
Vitral do Mercado Municipal

Já estive em São Paulo muitas vezes, sempre para trabalhar, mas também já fui para me divertir, São Paulo é outro mundo, nem parece que estamos na região sudeste ou mesmo no Brasil. Apesar de ser uma megalópolis, tem muitas coisas para fazer, muitos museus, parques e espetáculos musicais, coisas que muitas vezes não fazem parte do eixo Rio-São Paulo. Podemos começar nossa viagem à Sampa pelo famoso Mercado Municipal, visita obrigatória para turistas de todo o Brasil e de outros países, o Mercado Municipal Paulistano é um dos mais tradicionais pontos gourmet da cidade.  E não é para menos. Mercadão, como é conhecido, é possível encontrar de verduras, legumes e frutas fresquinhas, passando por carnes, aves, peixes e frutos do mar, a massas, doces, especiarias e produtos importados de primeira linha. Cuidado para não comprar coisas que não quer, eu fiquei constrangido numa barraca de frutas, eles foram tão simpáticos, eu provei tantas frutas diferentes e deliciosas que acabei comprando, acabou que foi muito caro para 3 frutas. Sem falar no espaço gastronômico, que oferece a oportunidade de degustar saborosos pratos ali mesmo, sanduíches de mortadela (famoso), enquanto se aprecia a beleza arquitetônica do Mercadão.

Sampa44
Catedral da Sé

Catedral da Sé

Outro lugar para se conhecer, para quem gosta de igrejas, que é o meu caso, apesar de não ser católico, aprecio a arquitetura, seria a Catedral da Sé.  É uma Catedral neogótica que foi construída por iniciativa de Dom Duarte Leopoldo e Silva, primeiro arcebispo de São Paulo. Os trabalhos começaram em 1913 no local da catedral colonial demolida. O arquiteto responsável foi o alemão Maximilian Emil Hehl, que projetou uma enorme igreja em estilo eclético, por possuir vários elementos de estilos distintos, como a cúpula e o arco ogival, mas que predomina claramente o neogótico, inspirada nas grandes catedrais medievais europeias. A estação de metrô que serve essa região se chama SÉ.  Ainda na linha religiosa, o museu dos Jesuítas, que hoje se chama Pátio do Colégio é o marco inicial no nascimento da cidade de São Paulo. O local, no alto de uma colina entre os rios Tamanduateí e Anhangabaú, foi o escolhido para iniciar a catequização dos indígenas. Fica perto da Catedral da Sé nas ruas Boa Vista e Anchieta.

20140608_092837
Marco inicial de São Paulo

O Centro Cultural Banco do Brasil, também é uma boa opção para ver exposições de alto nível, a vantagem é que essas mesmas exposições fazem o eixo Rio-São Paulo. O endereço é: Rua Álvares Penteado, 112 – Centro e a estação de metrô mais próxima é a São Bento (Largo de São Bento) que sai em frente ao Mosteiro de São Bento. É um dos edifícios históricos mais importantes da cidade. É a quarta construção dos beneditinos desde 1600. É um raro exemplar da arquitetura Beuronense. Infelizmente não pode tirar fotos dentro do Mosteiro, então tem que ir para ver com seus próprios olhos.

Claro que sempre se dá um jeitinho de tirar fotos. Aos domingos às 10h tem uma missa celebrada com canto gregoriano, seria interessante chegar cedo para não ficar em pé, a missa dura duas horas e depois é possível fotografar por dentro do mosteiro.

O Instituto Tomie Ohtake, localizado na Av. Brigadeiro Faria Lima, 201 no bairro de Pinheiros, também é uma opção de passeio cultural, também abriga diversas exposições de artes de pintores famosos, nesse caso, essas exposições não fazem o eixo Rio-São Paulo. A estação de metrô mais próxima fica à 800m, Faria Lima (Linha Amarela).

f2996dd2-27a3-408a-ae98-77a103d4e8cc
Beco do Batman

Aproveitando a região, recomendo andar um pouco para conhecer o Beco do Batman, que é referência no grafite mundial, considerado a maior galeria de grafite a céu aberto do mundo. Está situado entre as vielas da Vila Madalena, nas estreitas ruas Gonçalo Afonso e Medeiros de Albuquerque. Recomendo muito.

São Paulo é cheia de museus, a Pinacoteca guarda um enorme acervo de pinturas,  é um dos mais importantes museus de arte do Brasil. Ocupa um edifício construído em 1900, no Jardim da Luz, centro de São Paulo. É o mais antigo museu de arte de São Paulo, fundado em 1905. Nesse museu você poderá ver obras de Anita Malfatti, Di Cavalcanti entre outros artistas brasileiros famosos. E do outro lado da rua, fica o Museu da Língua portuguesa um museu interativo sobre a língua portuguesa localizado no histórico edifício Estação da Luz, no Bairro da Luz. O objetivo da instituição é criar um espaço vivo sobre a língua portuguesa, considerada como base da cultura do Brasil, onde seja possível causar surpresa nos visitantes com os aspectos inusitados e, muitas vezes, desconhecidos de sua língua materna. A estação de metrô para os dois museus é o da Luz.

Sampa56
MASP

O MASP, Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (mais conhecido pelo acrônimo MASP) é uma das mais importantes instituições culturais brasileiras. Localiza-se, desde 7 de novembro de 1968, na Avenida Paulista, Famoso pelo vão de mais de 70 metros que se estende sob quatro enormes pilares. O MASP possui a mais importante e abrangente coleção de arte ocidental da América Latina e de todo o hemisfério sul, em que se notabilizam sobretudo os consistentes conjuntos referentes às escolas italiana e francesa. Possui também extensa seção de arte brasileira e pequenos conjuntos de arte africana e asiática, artes decorativas, peças arqueológicas, totalizando aproximadamente 8 mil peças. Infelizmente também não pode tirar fotos das obras de arte. A estação de metrô mais próxima é a Trianon-MASP.

Para quem gosta de comprar, a rua 25 março pode ser uma boa opção, com muitas lojas de todos os tipos de coisas, desde lã até guarda-chuva. Eu acho uma confusão. Outro lugar para compras e para também ver um pouco de uma cultura diferente, é o bairro da Liberdade, também com metrô estação Liberdade. Para os fãs da cultura oriental é um prato cheio de opções, com edifícios de 5 ou 6 andares de pequenas lojas, onde se pode encontrar de tudo e mais um pouco.

13307241_10204709450815315_4311419648180027880_n
Museu do Imigrante

São paulo guarda muitas surpresas, o Museu dos Imigrantes é uma ótima opção para conhecer, principalmente para aqueles que tem descendência européia como eu, lá eu encontrei o registro dos meus bisavós italianos, foi muito emocionante. Podemos encontrar documentos, exposições e festas relativas à imigração nos sécs. XIX e XX em antiga Hospedaria do Imigrante. O prédio fica na R. Visc. de Parnaíba, 1316 – Mooca. O melhor acesso de metrô é pela estação Bresser-Mooca, tem que andar um pouco, mais vale à pena. Lá também, se você quiser, pode tirar uma foto com roupas de imigrantes.

Para quem gosta de futebol, fui visitar o estádio do Pacaembu,  que abriga o Museu do Futebol, e claro, todo dedicado ao futebol. Foi construído no Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho, antigo Estádio Municipal do Pacaembu, na Praça Charles Miller, bairro do Pacaembu. Não tem metrô perto, a opção é ir de ônibus.

Não pode faltar o Parque Ibirapuera que é o mais importante parque urbano da cidade de São Paulo. Foi inaugurado em 21 de agosto de 1954 para a comemoração do quarto centenário da cidade. Foi eleito em 2015, o “melhor parque urbano do planeta” pelo renomado britânico The Guardian, ficando a frente de parques de renomes como Buttes-Chaumont, de Paris, Boboli de Florença, a High Line de Nova Iorque, o Hampstead Heath de Londres e até o Parque Güell, de Barcelona. É um parque muito bonito e amplo, as pessoas passam o domingo se exercitando e passeando pelos campos verdes do parque. Ainda falando de arte, saindo do parque, no portão 10, tem uma escultura enorme de Victor Brecheret, importante escultor ítalo-brasileiro que participou da semana de 22 de arte moderna. A escultura é uma das maiores esculturas do mundo e um marco da cidade, a obra é uma homenagem aos bandeirantes paulistas que desbravaram os sertões nos séculos 17 e 18. Composto por um grupo anônimo de trinta e sete figuras, representando as várias etnias da formação do povo paulista, como índios, negros, portugueses e mamelucos.

8db13fe8-2cb7-45ba-abc1-54cf57be35be
Monumento as Bandeiras (Victor Brecheret)

Em São Paulo existe um Museu, chamado Museu Paulista ou Museu do Ipiranga, infelizmente esse Museu está fechado a anos e faz parte do acervo o quadro Independência ou Morte de Pedro Américo, por um erro no site, acusou como aberto, então fui lá, mas não consegui entrar.

Museu Paulista

Mas do outro lado do Museu tem o Parque da Independência que foi uma grande surpresa.

Parque da Independência, inaugurado em 1989, nas margens do córrego do bairro do Ipiranga, na cidade de São Paulo, faz parte do patrimônio histórico cultural brasileiro devido ao Grito da Independência do país, ali proclamada por D. Pedro I. Surgiu da preocupação em unir a região do Ipiranga enquanto um espaço de memória nacional e patriotismo, além de ser uma forma de preservação e demarcação do espaço e uma forma também de tornar comum uma memória coletiva.

Nessa Praça fica o Monumento à Independência do Brasil, também chamado de Monumento do Ipiranga ou Altar da Pátria, é um conjunto escultórico em granito e bronze. O Monumento foi inaugurado como parte das comemorações ao centenário da independência, em 1922, embora tenha sido concluído apenas quatro anos depois.

Em 1953 fora iniciada a obra da cripta Imperatriz Leopoldina e depois em 1972 foi acrescido à esta os restos mortais de D. Pedro I, e em 1984, D. Amélia. Já em 2000 fora desenhado pelo Departamento do Patrimônio Histórico (DPH) uma forma de acesso ao interior do monumento onde jazem os restos mortais destes, chamando o espaço de Capela Imperial.

Anúncios

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.