Puerto Iguazú

Puerto Iguazú é uma cidade da província de Misiones. Foi muito fácil atravessar a fronteira, existem ônibus urbanos vindos de Foz, saindo do Terminal de Transporte Urbano (TTU), que fica na Av. Juscelino Kubitschek, 1385. A passagem é bem barata. É em Puerto Iguazú que ficam as cataratas do lado Argentino. Todos sabem que a Argentina ficou com 80% das quedas d´água e consequentemente o parque é muito maior, precisa de um dia inteiro para aproveitar tudo o que parque tem para oferecer, muito diferente do brasileiro que somente em uma manhã dá para conhecer tudo.

É necessário outro transporte, outro ônibus ou táxi, que custa R$ 17,00 ou 50 pesos por pessoa tanto um quanto o outro, o ônibus que te leva até o parque é da Viação Uruguay. Para cruzar a fronteira tem que ter em mãos sua carteira de identidade ou seu passaporte, tanto na ida como na volta é preciso mostrar. Assim que passar da fronteira com o Brasil, salte na primeira parada para esperar o ônibus ou táxi. Para comprar o ingresso do parque é preciso ter pesos argentinos, eles não aceitam real, mas você pode pagar com cartão de crédito. Eu consegui os pesos com o motorista do táxi que me levou até o parque, ele fez uma cotação boa de 5 para 1. Como o parque é muito grande, reservei logo o passeio de barco pelas cataratas, o que me tomou a manhã inteira. O passeio é bem mais radical que a versão brasileira e também um pouco mais barato.

No Parque Nacional do Iguazú há três caminhadas para se fazer, que passam por várias quedas d’água das Cataratas. Essas caminhadas levam um bom tempo. Depois do barco, almoçamos e fomos fazer o passeio conhecido como Garganta del Diablo. Precisa pegar o trenzinho até a Garganta do Diabo. A fila estava grande, pois apesar de caber bastante gente no trem, eles demoram uma média de 30 minutos para passar, depois que chega na estação da Garganta, ainda é preciso andar um pouco até chegar à Garganta em si, e posso dizer que vale muito o passeio.

Depois fui direto para o Paseo Superior, que como o nome já diz, a gente tem a visão das cataratas lá do alto. São 650 m de caminhada, feitas através de pontes de ferro. Durante o passeio vimos várias quedas, pra variar uma mais linda que a outra! O Passeio Superior é bem tranquilo, o caminho é plano e tem poucas escadas.

Logo após fomos fazer o Paseo InferiorEssa trilha é mais difícil, tem bastante sobe e desce. Os degraus das escadas são mais estreitinhos, tem que tomar cuidado pra não escorregar se estiver muito molhado. A Ilha de San Martin pertence ao circuito inferior, mas infelizmente estava fechada sem previsão para abertura.

Confira o vídeo no meu canal do Youtube:

Em um outro dia, também decidi fazer um tour pela cidade, muitas pessoas falavam sobre a cidade e como era bonitinha, digamos que a minha opinião não foi bem essa. A cidade parece uma cidade do interior meio largada.

Com poucos pontos turísticos, posso destacar a catedral Virgen del Carmen.  É um templo católico localizado na Avenida Victoria Aguirre 180. As origens remontam a 1936. O edifício tornou-se uma catedral em 1986, quando a diocese de Iguazú foi criada. No dia 16 de julho é comemorada a festa da Virgen del Carmen, padroeira de Puerto Iguazú.

A Plaza San Martín é a praça central de Puerto Iguazú. Está localizado no cruzamento das avenidas Três Fronteiras e Victoria Aguirre. Este é um amplo e espaçoso lugar para incluir uma fonte de água de dança iluminada, a Pirâmide do Bicentenário e bustos de General San Martin e da Argentina médica Dr. Marta Teodora Schuartz, “o anjo da selva, homenagem governo e povo da cidade de Iguazú “, de acordo com a placa.

Em Puerto Iguazú também tem o famoso Paseo de la Identidadsão cerca de seis murais em que, através dos desenhos, conta a história da cidade. Paseo El Identidad está localizado em frente à Plaza San Martín.

E a parte mais interessante da cidade é o Marco das Três Fronteiras, que ao contrário do lado brasileiro, é totalmente gratuito. Como estava a pé, devo dizer que foi uma boa caminhada até chegar na atração. É um ponto turístico referente ao local de divisa territorial respectivamente entre o Brasil, a Argentina e o Paraguai. O Marco argentino situa-se à margem do Rio Iguaçu e o Marco paraguaio fica à margem direita do Rio Paraná. Os três, igualmente pintados com as cores nacionais, formam um triângulo equilátero que fixa o limite territorial e a soberania dos três países.

Veja também o que fazer em Foz do Iguaçú e o que fazer em Ciudad del Este no Paraguai.

Reserve a qui seu hotel:



Booking.com

Deixe uma resposta