Bruxelas

Eu sempre quis conhecer Bruxelas na Bélgica, sempre achei um destino diferente, que não é muito badalado. Capital do país e a maior área urbana na Bélgica e a capital de facto da União Europeia (UE). É composta por 19 comunas, incluindo a Cidade de Bruxelas, propriamente dita. Apesar de ser verão quando estive visitando o país, o tempo estava bastante nublado e chovia o tempo todo. Com certeza eu voltaria outras vezes.

Cheguei na cidade de trem, vindo de Paris. Achei um pouco confuso me localizar, não tinha muitas orientações para turistas, mas logo peguei o metrô e cheguei no hotel.

Comecei minha exploração pela belíssima Grand Place que é a praça central de Bruxelas. Nela ficam a Câmara Municipal e a Casa do Rei. Alguns autores, entre os quais Victor Hugo, consideram-na a mais bela praça do mundo (concordo). Foi inscrita em 1998 na lista de Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – UNESCO.

A Grand Place é o centro geográfico, histórico e comercial de Bruxelas, e o primeiro local a ser visitado por quase todos os turistas. Esta movimentada praça empedrada mantém-se o centro cívico da cidade, passados séculos da sua criação, e o melhor exemplo da arquitetura belga do século XVII. No final do século XIV foi construída a Câmara Municipal de Bruxelas, o Hôtel de Ville, e os comerciantes acrescentaram sedes de guildas numa mistura de estilos.

Maison des Ducs de Brabant –  Ou Casa dos Duques de Brabante, inclui 7 prédios que estão por trás de uma só fachada. Foi reconstruída após o bombardeio de 1695. É um estilo clássico e flamenco e tem  pilastras decoradas com 19 bustos dos Duques de Brabante daí a origem do seu nome “Casa de duques de Brabante” .

20140708_062917

Outro ícone da cidade de Bruxelas é o Manneken Pis (garoto a urinar). É uma pequena fonte em bronze de um menino que urina para a bacia da fonte. As fotografias normalmente tiradas à estátua dão uma sensação errada da sua verdadeira estatura; muitos turistas ficam desapontados ao descobrirem uma pequena estátua em vez de uma maior, eu fiquei bem frustrado. Mas a multidão que se forma em frente dessa pequena estátua até desanima, parece a Monalisa.

Poucas pessoas sabem, mas o famoso personagem de histórias em quadrinhos Tin tin, ou como eles pronunciam, Tãn tãn é belga.

Um pouco mais afastado do centro histórico da cidade fica um outro monumento, esse sim impressiona. A estação de metrô que te deixa mais perto é a linha 6 azul estação Heysel. O Atomium foi construído em 1958 para a Expo 58. Com 103 metros de altura, o Atomium representa um cristal elementar de ferro ampliado 165 milhões de vezes, com tubos que ligam as 9 partes formando 8 vértices.

As esferas de ferro com cerca de 18 metros de diâmetro estão ligadas por tubos com escadas no seu interior com um comprimento de cerca de 35 metros. As janelas instaladas na esfera do topo oferecem aos visitantes uma vista panorâmica da cidade. É considerada a Torre Eiffel de Bruxelas.

Bem ao lado do Atomium fica o parque Mini Europa, um parque em miniatura localizado em Bruparck. Mini-Europa tem reproduções de monumentos da União Europeia. Cerca de 80 cidades e 350 edifícios estão representados. O parque contém modelos de paisagens, trem, moinhos, montes, teleféricos e outros. O parque foi construído em uma área de 24.000 m².

O belíssimo Parque do Cinquentenário é um parque público urbano no leste de Bruxelas. Duas linhas do metrô servem para chegar lá, a 1 e a 5 e a estação é Schuman. A maioria dos edifícios do complexo em forma de U que dominam o parque foram encomendados pelo governo belga sob o reinado do rei Leopoldo II para a Exposição Nacional de 1880, em comemorativa ao cinquentenário da independência da Bélgica, e exposições sucessivas que ocorreram na mesma área. O arco do triunfo Les Arcades du Cinquantenaire foi erguido em 1905. Os 30 hectares de parque está cheio de jardins pitorescos, lagoas e cachoeiras. Ele abrigou várias feiras, exposições e festivais, no início do século. Desde 1930 que o parque é voltado para o lazer.

 

Catedral de São Miguel e Santa Gudula é uma igreja católica localizada no monte Treurenberg. Ela serve como o co-catedral da Arquidiocese de Malines-Bruxelas. Em 1047, Lamberto II de Lovaina organizou o transporte das relíquias de Santa Gudula, abrigado antes disso, na Igreja de São Gaugérico, na ilha de Saint-Géry. Os santos padroeiros da igreja, São Miguel Arcanjo e a mártir Santa Gudula, são também padroeiros da cidade de Bruxelas. No século XIII, a catedral foi renovada em estilo gótico. A fachada foi concluída em meados do século XV. Infelizmente a igreja estava fechada quando estive lá, só pude mesmo fotografá-la por fora.

A Bélgica é o país da batata frita e do chocolate, não deixe de aproveitar essas delícias.

Leia também aqui no blog o post sobre Bruges. Aproveite as dicas e viaje com Leandro.

Deixe uma resposta