Ljubljana

Quem já ouviu falar de Ljubljana, a capital e maior cidade da Eslovênia com cerca de 272 220 habitantes. Liubliana é a sede do município urbano de mesmo nome. Eu, honestamente só ouvi esse nome quando recebi um convite de participar em um evento no país. Fiquei encantado com a cidade, parece um pouco com Praga, mas tem um charme sem igual. Cheguei na cidade de van, sim, a produção do evento me pegou em Veneza na Itália, as cidades ficam duas horas e meia de distância.  O caminho até lá já foi lindo. Os montes Julianos falam por si só.

O centro da cidade é lindo também e o rio Lublianica marca e divide o centro da cidade em dois. De um lado, a parte antiga e o acesso ao castelo, do outro a parte comercial e política da cidade.

No centro, a praça do poeta nacional, France Prešeren (1800-1849), na qual se encontram a igreja principal, dedicada à Ordem Franciscana e a ponte tripla, que é um grupo de três pontes que conecta a cidade histórica, medieval. São poucos os resquícios do passado comunista na cidade, apesar da independência recente, obtida no começo da década de 1990.

A Ponte dos açougueiros é a ponte do amor de Liubliana. É um lugar onde inúmeros amantes marcaram simbolicamente seu amor e deixaram cair as chaves no rio Ljubljanica, que flui por baixo. Construída em 2010, conecta a colunata do mercado central, projetada pelo arquiteto Jože Plečnik. A ponte ocupa o local no meio das antigas cabanas de açougueiros e as esquisitas estátuas assustadoras, mas interessantes de Brdar e pequenas esculturas de pequenas criaturas deformadas, sentadas no parapeito, referem-se de alguma forma à história da cidade. A grande estátua de pé no lado de Petkovškovo nabrežje da ponte, retrata Prometheus, enquanto as estátuas em miniatura no parapeito aludem a uma atividade que já aconteceu nas cabines de venda automática de açougueiros.

O contraste impressionante entre as figuras e os cadeados de amor anexados ao parapeito da ponte fazem dela uma das pontes mais incomuns das muitas de Ljubljana.

A história da cidade é de origem diversa, mas sobretudo, celta. Segundo conta uma lenda, Liubljana no ano de 1144, era dominada por um terrível dragão que costumava atirar fogo para aterrorizar seus habitantes a partir de uma das torres do castelo. Depois de muito tempo de solidão e destruição, o dragão apaixonou-se por uma doce fêmea e deles teria nascido o primeiro dragão artista do mundo, um menino que não fez as vontades do pai. A ponte do dragão é uma ponte rodoviária que atravessa o rio Ljubljanica entre Kopitar Street (Kopitarjeva ulica) e Ressel Street (Resljeva cesta). Foi construída no início do século 20, quando Ljubljana fazia parte da monarquia austro-húngara. Como um dos melhores exemplos de pontes de concreto armado e do estilo de separação de Viena, a ponte é hoje protegida como um monumento técnico.

O Castelo de Ljubljana é apenas um dos castelos da cidade, mas certamente o maior e também o mais visitado. Construído em meados do século XV, hoje é um popular destino turístico para moradores e estrangeiros também. Não admira. Oferece uma excelente vista sobre a cidade, uma atmosfera romântica e um lugar de numerosos eventos culturais. O acesso é feito por um teleférico.

A Catedral St Nicholas, é a principal igreja da cidade e também a maior. Ela foi construída entre 1700 e 1800. Está localizada bem no centro da cidade, pertinho da ponte tripla, com uma vista maravilhosa. Sua porta toda decorada e seu interior, impressionam bastante.

O edifício do Parlamento esloveno, abriga a Assembleia Nacional da República da Eslovênia. Não se trata de um edifício antigo, é relativamente recente tendo sido construído entre 1954 e 1959.

Foi projetado para abrigar o parlamento esloveno de então, a Assembleia Popular, e foi modelado com base nos edifícios da antiguidade clássica e bastante influenciado pelo sobre-emocional realismo da época da sua construção. Um atrativo que se evidencia de imediato no edifício é o portal de entrada que cobre dois andares e é ladeado por estátuas de Zdenko Kalin e Karl Putrih que representa os trabalhadores.

 

A Casa de Opera de Ljubljana, anteriormente a Casa do Teatro Provincial (Deželno gledališče), foi construída entre 1890 e 1892 segundo um projeto neo-renascentista. Antes da construção do Teatro Alemão (o atual Teatro Drama) em 1911, o prédio era um local onde coexistiam produções apresentadas em esloveno e alemão (já que abrigava também o Teatro alemão), passando depois a ter apresentações apenas em esloveno.

Na Miklošičeva ulica número 8, encontra-se um edifício ao qual é impossível ficar-se indiferente. O edifício do Banco Cooperativo de Negócios, foi construído em 1921 pelo arquiteto Ivan Vurnik, e é que considerado como um dos melhores exemplos da arquitetura de estilo nacional esloveno.

Talvez o mais impressionante de todos os monumentos de Ljubljana seja o antigo muro Romano da cidade, que pode ser encontrado ao longo do Mirje, ao sul do centro da cidade. Originalmente em torno da cidade e com quatro portões principais, com impressionantes paredes que tinham 2,5 m de espessura e atingiram alturas de até 8 m.

Anúncios

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.