Arredores de Cusco

Sacsayhuamán é uma fortaleza inca, hoje em ruínas, localizada dois quilômetros ao norte da cidade do Cusco. Supõe-se que Sacsayhuamán foi construída originalmente com propósitos militares para defender-se de tribos invasoras que ameaçavam o Império Inca.

Sacsayhuamán está localizado a apenas 10 minutos da Plaza de Armas de Cusco (de carro) ou 45 minutos a pé. Outra opção é fazer um ‘City Tour’, que inclui transporte para este sítio arqueológico. A entrada é com o Bilhete Turístico de Cusco.

A construção foi iniciada pelo Inca Pachacuti, antes de 1438. Quem melhor descreve o monumento é o cronista Garcilaso de la Vega, que afirmou que sua construção durou cerca de 50 anos até o período de Huayna Capac; estava concluído na época da chegada dos conquistadores.

Atualmente se pode apreciar somente 20 % do que foi o conjunto arqueológico, já que na época colonial os espanhóis destruíram seus muros para construir casas e igrejas em Cusco.

Da fortaleza se observa uma singular vista panorâmica dos arredores, incluindo a cidade de Cusco.

O termo Sacsayhuamán significa em quechua “lugar onde o falcão é saciado”. O nome é certamente devido à presença dessas aves. Presume-se que fosse uma fortaleza, embora se acredite também que ela poderia ser um centro cerimonial.

Em Sacsayhuamán, as pedras são incríveis e tem uma com formato de lhama.

Q´enqo está localizado a cerca de 4 km (15 minutos) a nordeste da cidade de Cusco, em uma estrada asfaltada. Este local de culto está localizado no que agora é conhecido como o monte Socorro e tem uma área de 3.500 metros quadrados.

Para chegar a Q’enqo, você pode fazer um City Tour em qualquer agência de viagens, a pé, leva 50 minutos do centro da cidade de Cusco; nesse caso, você pode fazer isso inicialmente usando a rota para Sacsayhuamán.

O que resta hoje do complexo arqueológico de Q’enqo são rochas esculpidas que não puderam ser destruídas pelos espanhóis, restos pequenos de trilhas e aquedutos, nem os recintos, os depósitos ou os banhos litúrgicos.

Os conjuntos que descrevemos foram, sem dúvida, santuários muito importantes para os incas. Apesar da destruição que esse complexo sofreu durante a colônia, o que pode ser visto hoje nela, ainda é impressionante e colossal.

O Salão dos Sacrifícios, câmara subterrânea, feita na parte interna, parte baixa da rocha grande, de maneira que pisos, teto, paredes, mesas e armários são esculpidos em uma única rocha gigantesca. Dizem que essa câmara subterrânea poderia ter sido usada para embalsamar cadáveres de damascos secos, e também como um local de sacrifício e chamas humanos. A temperatura fria da rocha conservava os corpos.

Tambomachay ou Tampumachay é um outro sítio arqueológico, chamado de lugar de descanso está localizado próximo a Cusco. É um sítio arqueológico que foi destinado ao culto à água e para que o chefe do Império Inca pudesse descansar. Este lugar também é denominado “Banhos do Inca”.

É composto de uma série de aquedutos, canais e várias cascatas de água que correm pelas rochas. Aqui também houve uma espécie de jardim real, cuja irrigação provinha de um complicado sistema de canais especialmente feitos para essa função.

Veja também post de Cusco, Vale Sagrado e Machu Picchu.

Anúncios

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.