Rota do Sol

Depois que voltamos de Machu Picchi, tínhamos mais uma noite em Cusco, no dia seguinte iríamos à Puno para ver o Lago Titicaca, poderíamos simplesmente pegar um ônibus de Puno até Cusco, mas tínhamos também a opção de fazer uma excursão. Decidimos pegar esse tour chamado Rota del Sol com a Turismo Mer. Recomendo muito, um super ônibus com serviço de bordo e um guia que falava inglês e espanhol, foi uma viagem de quase dia inteiro.

A primeira parada foi em Andahuaylillas que fica a 3093 metros altitude. Essa cidade tem duas grandes atrações turísticas: A igreja de San Pedro de Andahuaylillas que é a maior atração para os visitantes, porque, devido à qualidade de suas obras de arte, é considerada a “Capela Sistina” da América.

indefinido
indefinido

Foi construída pelos jesuítas no final do século XVI e início do século XVII. Sua estrutura arquitetônica é um clássico das igrejas de cidades pequenas. Suas paredes são largas, típicas de edifícios coloniais, feitos com tijolos de barro secos ao sol, uma fachada adornada com murais e duas colunas de pedra projetadas em direção ao portão principal. Embora sua arquitetura seja relativamente modesta, a decoração de seus interiores é a mais impressionante do recinto.

indefinido
indefinido

Realmente de impressionar. Infelizmente não é permitido tirar fotos dentro da igreja, a única minha é a foto da fachada da igreja, as outras são de sites da internet.

A imensa Plaza de Armas é cercada por frondosas árvores de pisonay (ou corais) e palmeiras. É considerada uma das praças mais bonitas da região. A poucos quilômetros daqui fica a cidade de Huaro, onde se diz que os feiticeiros viviam nos tempos do Incario. Há um magnífico templo colonial cujas pinturas murais são de Tadeo Escalante (1803), um dos últimos professores da Escola Cusqueña.

Resultado de imagem para Plaza de Armas de Andahuaylillas
Resultado de imagem para Plaza de Armas de Andahuaylillas

Depois seguimos para Raqch’i, um sítio arqueológico localizado ainda na região de Cusco, canchis, San Pedro que está a 3175 metros acima do nível do mar e a 110 quilômetros da cidade de Cusco. É também conhecido como o templo de Wiracocha

O local era um ponto de controle primário em um sistema de estradas que se originou em Cusco e se expandiu à medida que o império Inca crescia. A maioria das estruturas Inca é cercada por uma parede de perímetro de 4 km de comprimento, mas logo ao lado dela, na estrada Inca que entrou em Raqch’i a partir de Cusco, um recinto com oito edifícios retangulares ao redor de um grande pátio era provavelmente um tampo (um alojamento para viajantes).

A estrutura mais proeminente é o Templo de Wiracocha, uma enorme estrutura retangular de dois andares que mede 92 metros (302 pés) por 25,5 metros (84 pés). Essa estrutura consiste em uma parede central de adobe com cerca de 18 a 20 metros de altura e uma base de andesita . Janelas e portas permitem passagem. É ladeado de cada lado por uma fileira de onze colunas. As fundações medem 4 metros (13 pés), tanto para a parede quanto para as colunas, em pedra clássica alta dos Incas, com a altura restante construída em adobe. 

Para o almoço, paramos na cidade peruana de Sicuani que é a capital da Província de Canchis, pertencente a Região de Cusco. A cidade fica a 3540 metros de altitude.

Um delicioso almoço com música peruana.

A viagem até La Raya, ponto mais alto da viagem com 4.335 metros acima do nível do mar. Ali a temperatura era baixa e podíamos ver a neve das montanhas bem pertinho. Os funcionários do ônibus ofereceram chá de coca e munha para aguentarmos a altitude, as chances de dores de cabeça e vômitos eram grandes. Ficamos ali um pouco, tiramos algumas fotos, o visual é realmente deslumbrante, coisas inacreditáveis.

A última parada antes de Puno foi em Pukara, uma cidade já na região de Puno, província de Lampa. Está localizado a noroeste do lago Titicaca.

A cidade de cultura Pucaka fica a 61 km ao norte de Juliaca, na estrada que leva a Cusco, a 3910 metros de altitude.

O antigo sítio arqueológico de Pukara, datado de 1.800 a.C, está localizado a oeste da cidade. O local é muito grande, distribuído na área de aproximadamente 4,2 km2. Este foi o primeiro grande centro urbano da região. O sitio foi declarado Patrimônio Cultural Nacional (Patrimonio Cultural) do Peru pelo Instituto Nacional de Cultura.

A Igreja de Santa Isabel de Pucará está localizada na frente e oeste da Plaza de Armas da cidade. O templo foi construído pelos jesuítas. Essa construção é uma jóia da arquitetura que possui linhas geométricas delgadas e o estilo barroco mestiço, construído perpendicularmente.

Suas belas torres e sua cúpula emergem como antenas de oásis no meio da desolação de um deserto, em flagrante contraste com a cor cinza da paisagem circundante.

Em 1.760, foram colocadas 24 esquadrias nas janelas e cornijas e em 1.762 o púlpito foi transferido e em 1763 o retábulo-mor, em 1764 o coro e o retábulo de Carmen, nos altares de cruzeiro, foram realizados 1.765 traslados dos altares de purificação e o Santo Cristo.

Outra atração da cidade é o Museu Lítico, no museu são exibidos pedestais e monólitos (talhado e esculpido em granito) de vários tamanhos, bem como de cerâmica, restos de ossos humanos, tecidos e fragmentos de vários objetos.

Depois seguimos para Puno.

Veja também os posts de Cusco, Arredores de Cusco, Vale Sagrado e Machu Picchu.

Anúncios