Guimarães

Quando cheguei à Guimarães foi amor à primeira vista. Dei uma volta com o carro procurando vaga para estacionar e logo vi a beleza da cidade, uma cidade pequena e encantadora. É uma cidade histórica, com um papel crucial na formação de Portugal, e que conta já com mais de um milênio desde a sua formação.

É uma das mais importantes cidades históricas do país, sendo o seu centro histórico considerado Patrimônio Cultural da Humanidade, tornando-a definitivamente um dos maiores centros turísticos da região. As suas ruas e monumentos respiram história e encantam quem a visita.

Cheguei na cidade de carro, fiz um bate-volta de Porto, aliás fiz vários bate-voltas nesse dia. Saí de Porto em direção à Braga, depois dirigi até Santiago de Compostela na Espanha e terminei o dia em grande estilo em Guimarães.

Existem outras de chegar até a cidade, Guimarães é a última estação de uma das linhas dos trens metropolitanos que partem da estação de São Bento, no Porto. A partir de lá, a viagem dura cerca de 75 minutos e custa 2,20 euros. É possível também chegar de ônibus.

Com suas ruas peculiares, Guimarães é uma obra prima.

Por ser uma cidade pequena, não tem realmente muita coisa para se fazer e é possível fazer tudo andando. Comece sua visita pelo Largo da Oliveira que durante séculos, foi o coração do burgo vimaranense e muitos reis e nobres deixaram gravada na pedra, a marca da sua personalidade. Esse Largo possui casas alpendradas, repletas, a partir dos primeiros pisos, de travejamentos de madeira, protegidas a estuque, que o decorrer dos anos foi degradando e obrigando a alterações. Bem no centro da praça está o Padrão do Salado, alpendre gótico erguido no reinado de D. Afonso IV para comemorar a Batalha do Salado, em 1340.

A igreja de Nossa Senhora da Oliveira foi construída a partir de um primitivo mosteiro, do século IX. A Condessa de Mumadona fundou este Mosteiro, dedicado a Santa Maria de Guimarães, foi reconstruído pelo Conde D. Henrique e foi instituído em Colegiada pelo primeiro Rei de Portugal D. Afonso Henriques. Da construção original românica restam poucas peças materiais, mas até hoje conserva-se uma quadra do claustro do século XII.

Também na praça está o Antigos Paços do Concelho, que teve sua construção iniciada no tempo de D. João I, em fins do séc. XIV. No inicio do séc. XVII foi profundamente remodelada. No seu interior existe um teto de madeira pintado.

IMG_2155

Saindo da praça em direção da atração principal da cidade que é o Castelo de Guimarães, você irá ver o belíssimo edifício da Câmara Municipal de Guimarães.

IMG_2162

Antes de chegar ao Castelo, dê uma parada para apreciar a Igreja de São Miguel do Castelo também conhecida como Capela de São Miguel do Castelo, de estilo românico, localiza-se junto ao Castelo de Guimarães. De acordo com a lenda ali foi batizado o primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques, o que parece não ser verdade. Mas dentro da capela está a pia batismal onde ele teria sido batizado.

Com aquele ar medieval de filmes, o Castelo de Guimarães tem sua data de construção incerta, mas sabe-se que no final do século IX, as terras de Vimaranes foram dadas a Diogo Fernandes, um cavalheiro castelhano que na cidade veio a se estabelecer. Mais tarde, estes domínios passaram a ser de Mumadona Dias, sendo provável que o primitivo castelo tenha sido construído nessa época. Em 950, as terras de Vimaranes viriam a ser divididas pelos seis filhos dela.

Você não pode perder o teleférico de Guimarães que fica do outro lado da cidade. O único teleférico a norte do rio Douro de Portugal, que te levará até Penha, um santuário de vida natural com as melhores vistas sobre a região, até ao mar. Provavelmente o primeiro Teleférico a entrar em funcionamento em Portugal, em 11 de Março 1995, recebe visitas de pessoas de todo o mundo durante todo o ano. Proporciona uma viagem de 1.700 metros, vencendo uma altitude de 400 metros em apenas alguns minutos, onde se situa o Santuário de Nossa Senhora do Carmo da Penha, autêntico santuário de vida natural, a Penha dispõe de um monumental conjunto de rochas que convidam a uma visita demorada e de uma notável diversidade de espécies arbóreas.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s