Montreux

Conhecida por seus famosos festivais de música, Montreux é muito mais do que isso. Mundialmente conhecida por abrigar o Festival de Jazz e por ser a cidade onde ocorreram os eventos de uma das músicas mais famosas do Rock and Roll, “Smoke on the Water”, da banda Deep Purple que fala do lago le Mans. Lac Léman na França e na Suíça, mas que é conhecido em alguns países como Lac de Genève.  A minha ida à cidade foi ocasional, não estava no meu roteiro inicial, mas como tive problemas com a neve, tive que mudar a minha rota, minha ideia era ir à Chamonix na França, mas não consegui passar pela serra por causa do mal tempo, então tive mudar, esquecer Chamonix e seguir para Annecy passando por Montreux pois a fronteira ficava perto de Genebra.

A língua oficial nesta comuna é o francês, a segunda língua mais falada é o alemão, seguida pelo italiano.

Freddie Mercury, vocalista do Queen, morou em Montreux após descobrir que estava com AIDS, e compôs para cidade a música “A Winter’s Tale”. Na Place du Marché, às margens do Lago Genebra, por isso foi erguida em 1996 uma estátua em sua homenagem.

O mercado coberto ou Place du Marché foi construído em 1891-1892 pelo arquiteto Henri Chaudet, graças a uma doação feita por Henri Nestlé, residente de Montreux. Sua estrutura refere-se ao Les Halles de Paris construído por Victor Baltard, o aço usado foi o da mesma oficina que construiu a Torre Eiffel.

O Castelo de Chillon está construído sobre um rochedo oval, sobre o Lago Léman entre Montreux e Villeneuve. Uma guarnição podia, controlar militar e comercialmente a rota para Itália do castelo. As primeiras construções remontam ao século X, embora seja provável que esse espaço já fosse uma localização militar privilegiada antes dessa data. Objetos que remontam à época romana foram descobertos durante escavações no século XIX, assim como vestígios datados da Idade do Bronze.
Personalidades como Goethe e Hemingway visitaram o castelo, enquanto outras, como Rousseau, Victor Hugo e Lord Byron, o enalteceram. O mais famoso dos seus prisioneiros foi François Bonivard, um monge e político de Genebra, que incitou o povo a revoltar-se contra a Casa de Saboia e ficou preso por quatro anos. A sua história inspirou o poeta Lord Byron a escrever “O prisioneiro de Chillon”, de 1816.

Gostou das dicas? Aproveite e Viaje com Leandro!

Anúncios

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.